Biografia Jung

Biografia de Jung

Jung Carl Gustav Jung – 26.07.1875 / 06.06.1961

 

Breve Biografia

 

 Jung nasceu na Turgóvia – Suiça, em 26 de julho de 1875. Seu pai e vários parentes eram pastores, e desde a infância foi afetado por questões religiosas e espirituais.

Jung era muito interessado em filosofia e literatura. Pesquisou as tradições ocidentais que lidavam com o desenvolvimento da consciência. Pesquisou muito sobre símbolos, alquimia, mitos e simbolismos.

Quando jovem foi impressionado por Goethe, Nietzsche.

Em 1900 se formou em medicina, especializando-se em psiquiatra, na Clínica Psiquiatra Burgholzli em Zurique, um dos mais progressivos centros psiquiátricos da Europa Lá desenvolveu importante pesquisa utilizando o teste de associação de palavras, no qual conseguiu comprovar, experimentalmente, a influência de complexos inconscientes na fala. Esta pesquisa o aproximou de Freud.

Em 1902, Jung estudou com Pierre Janet, um notável psiquiatra francês.

Em 1904, Jung montou um laboratório experimental na Clínica Psiquiátrica e desenvolveu o teste de associação de palavras para diagnóstico psiquiátrico.

Em 1905, Jung com trinta anos, tornou-se professor em psiquiatria na Universidade de Zurique e médico efetivo na Clínica Psiquiátrica.

Apesar das fortes críticas apontadas a Freud nos meios científicos e acadêmicos, Jung estava convencido do valor do trabalho de Freud. Em 1906 enviou cópias de seus artigos e de seu primeiro livro e, em seguida, Freud o convidou para ir a Viena.

Em 1907 houve o primeiro encontro com Freud, que durou treze horas, sem pausa. Passaram a trocar correspondências semanais, e Freud passou a considerar Jung seu sucessor. Apesar da amizade, os dois discordavam em pontos fundamentais. Jung não aceitava a insistência de Freud de que as causas da repressão eram sempre traumas sexuais. E Freud, por sua vez, ficava apreensivo com o interesse de Jung pelos fenômenos mitológicos, espirituais e ocultos.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, Jung não foi apenas aluno ou discípulo de Freud. Os dois pesquisadores trabalharam juntos na criação e divulgação da psicanálise. Mas em 1912 rompem definitivamente por divergências teóricas, quando Jung publica Símbolos da Transformação, que incluía sua análise da libido como uma energia psíquica (energia vital), diferente de Freud que defendia libido unicamente como energia sexual. Este rompimento foi doloroso para Jung, mas se manteve fiel às suas convicções. Jung se difere de Freud principalmente pela noção mais alargada da libido e pela introdução do conceito de inconsciente coletivo, e desenvolveu suas próprias teorias sobre processos inconscientes e sobre a análise dos sonhos, criando a Psicologia Analítica (Jung considera analítico todo procedimento que se confronta com a existência do inconsciente) ou Psicologia Junguiana.

Conceitos como complexo, introversão, extroversão, inconsciente coletivo, anima, animus, self, arquétipo, sincronicidade, entre outros, são de sua autoria.

 Jung congressoCongresso Psicoanalítico Internacional de 1911,
presidido por Jung no centro, à esquerda de Freud

 

Veja os principais conceitos de Jung:

– Atitudes: introversão e extroversão
– Funções: pensamento, sentimento, sensação e Intuição
– Imaginação Ativa
– Inconsciente pessoal
– Inconsciente coletivo
– Arquétipos
– Símbolos
– Instinto e vontade
– Complexo/Constelação
– Persona
– Sombra
– Anima e animus
– Self
– Função Transcendente
– Processo de Individuação
– Sincronicidade

A psicologia de Jung está basicamente interessada no equilíbrio entre os processos conscientes e inconscientes. Seu objetivo sempre foi o de ajudar as pessoas a se conhecerem melhor e que através deste conhecimento e da reflexão de seus comportamentos pudessem usufruir de vidas mais plenas e felizes.

Escreveu toda sua obra profundamente comprometido com as manifestações do inconsciente, o que o torna sempre atual e desperta um crescente interesse.

 “Ocorre um fato notável na psicoterapia:
você não pode decorar nenhuma receita e aplicá-la
mais ou menos adequadamente,
mas só é capaz de curar a partir de um ponto central;
este consiste em compreender o paciente
como um todo psicológico e
chegar a ele como um ser humano,
deixando de lado toda a teoria e ouvindo atentamente
o que quer que ele venha a dizer”
Jung

Para quem quer se aprofundar em sua teoria, a indicação é começar lendo sua autobiografia: Memórias, Sonhos e Reflexões.

No prólogo ele cita: “Minha vida é a história de um inconsciente que se realizou”, nos ensinando o quanto é importante o (re)conhecimento do inconsciente em nossa vida. A leitura desse livro é imprescindível não apenas para uma maior compreensão da vida do criador da Psicologia Analítica, como também para um melhor entendimento de seus conceitos.

Marie-Louise voz Franz foi uma das mais importantes colaboradoras de Jung, e após sua morte desenvolveu um amplo trabalho abordando temas como a alquimia, a interpretação psicológica dos sonhos e dos contos de fadas.

Outra importante analista foi Nise da Silveira, psiquiatra brasileira contrária ao tratamento agressivo nos hospitais psiquiátricos de sua época. Nise criou o Museu de Imagens do Inconsciente – RJ, o qual possui obras de arte manuais e plásticas de pacientes psiquiátricos, relacionando-os com a teoria do seu tutor, C.G. Jung.

Se quiser saber mais sobre Nise da Silveira, acesse a página sobre inconsciente no link abaixo, e veja no final da página:

Dez dias antes de morrer, Jung termina um ensaio para o livro: “O Homem e Seus Símbolos”. Livro que super indico para quem quer estudar mais sobre o inconsciente.

Jung faleceu em 06 de junho de 1961 em Zurique, pouco antes de completar 86 anos.

Se quiser saber um pouco mais, acesse a Wikipédia:

– Veja também: